Como programar em Delphi: introdução para iniciantes

Antigamente, programar um sistema com interface gráfica era extremamente trabalhoso.

Um simples componente visual, requeria dezenas e dezenas de linhas de códigos.

Assim, uma aplicação, por mais simples que fosse, levava muito tempo para ficar pronta. E com isso, gastavam-se mais recursos e tempo em sua criação.

Tópicos que você vai ver

1. Conhecendo o Delphi
2. Primeiros passos no ambiente gráfico
3. Sessões da Unit
4. Características do Delphi
5. Funções
6. Tipos de campos
Como programar em Delphi: introdução para iniciantes

O Manual do Freelancer

Conhecendo o Delphi

As ferramentas RAD conseguiam conectar de modo simples, um elemento na interface da aplicação com o seu código de programação.

O Manual do Freelancer

Isso foi um verdadeiro alívio para os programadores, pois se perdia muito tempo codificando a parte gráfica, a qual o usuário interagia.

Portanto, com essas ferramentas, pode-se poupar tempo e gastos, além de destinar a maior parte do tempo ao código do programa.

O Delphi foi lançado pela Borland Delphi, a fim de revolucionar o mercado na época.

Com uma ferramenta capaz de aliar a facilidade que o Visual Basic oferecia, junto com a força da linguagem Object Pascal, cujo compilador possuía o mesmo desempenho do C++, o Delphi conquistou uma geração.

Primeiros passos no ambiente gráfico

Extensão dos arquivos

  • arquivo.pas: é o local onde fica armazenado todo o código fonte. O arquivo em que está presente todo o código da aplicação;
  • arquivo.dfm: é o arquivo de descrição do formulário ou seja, ele é responsável por executar os forms da aplicação;
  • arquivo.dpr: é onde está salvo o projeto da aplicação;
  • unit: unidade de código da aplicação.

O Manual do Freelancer

Object Inspector

É uma janela que fornece o acesso de modo direto às propriedades e eventos pertencentes a um componente.

Seções da Unit

Seção Interface

Nesta seção são declarados todos os tipos de dados, classes, variáveis, funções e procedimentos que podem ser acessados por outras Units.

Seção Implementation

Aqui são declarados todos os tipos de dados, classes, variáveis, funções e procedimentos que não podem ser acessados por outras Units.

É nesta seção em que são implementadas todas as funções e procedimentos que são declarados na Interface.

Seção Initialization

Seção onde são atribuídos valores às variáveis, devendo ser inicializadas no início da aplicação.

Seção Finalization

Se houver algum comando que deva ser executado no fim da aplicação, deve ser escrito nesta seção.

Cláusula USES

Uses é uma palavra reservada do Delphi. Ela define quais Units serão referenciadas na aplicação.

Para que as Units não sejam acessadas, é preciso colocá-las na seção Implementation da unidade.

Características do Delphi

Caracteres

Os caracteres e Strings são delimitados por apóstrofo ou aspas simples (‘ ‘).

Comentários

Pode-se comentar de três formas em Delphi:

  • Comentário de uma única linha:
    // comentário;
  • Comentário de múltiplas linhas com chaves:

{comentário

comentário}  ;

  • Comentário de múltiplas linhas com parênteses:
    (* comentário
    comentário *);

Variáveis Globais

Quando uma variável é acessível a toda a Unit (unidade de código), chama-se de variável global. As variáveis globais são declaradas após a palavra reservada VAR na seção INTERFACE.

Variáveis Locais

Quando uma variável é declarada dentro de uma função ou procedimento, ela será visível apenas dentro da própria rotina, por isso é chamada de variável local.

Vetores

Os vetores são grupos de variáveis com o mesmo nome, mas que são diferenciados por um índice. Servem para armazenar uma grande quantidade de dados de um mesmo tipo.

Os vetores são criados depois da palavra reservada TYPE:
nome_do_tipo : array[i1…i2] of tipo_da_variavel;

  •  i1 é o valor mínimo e o i2 o valor máximo do índice;
  • Os índices sempre começam em 0.

Bloco de Comandos

É o conjunto de linhas de código entre as palavras reservadas BEGIN e END.

Estruturas utilizadas no Delphi

Estrutura Condicional

Esta estrutura executa um código específico caso uma condição seja verdadeira e outro código caso seja falsa.

IF-THEN-ELSE

if(condição)
then
  begin
    {bloco de comandos se for verdadeiro}
  end
else
  begin
    {bloco de comandos se for falso}
  end;

DICA: se não for necessária a execução do código caso a condição seja falsa, basta suprimir o código que corresponde à cláusula ELSE.

if(condição)
then
  begin
    {bloco de comandos se for verdadeiro}
  end;

CASE OF

Nesta estrutura o teste é feito e, se algum dos valores forem iguais aos especificados, o código presente neles é executado. Se não for encontrado nenhum, o código do ELSE é executado.

case <expressão> of
  valor1: 
  valor2:
  valorn: 
  else:
end;

Operadores

= igual
<> diferente
< menor > maior
<= menor ou igual >= maior ou igual

Estrutura de Repetição

Serve para executar um mesmo trecho de código que precisa ser repetido diversas vezes.

FOR

É usado quando já se sabe a quantidade de vezes que o código vai se repetir.

for contador := valor_inicial to valor_final do

DICA: se for preciso que o contador decremente, a sintaxe é:

for contador := valor_inicial downto valor_final do

WHILE

Nesta estrutura a execução do bloco de código vai ser repetida enquanto uma condição for verdadeira.

while <condição> do

OBS: se a condição for falsa, o bloco não será executado.

REPEAT

Esta estrutura só difere do While no sentido em que o bloco de código tem de ser executado ao menos uma vez. Portanto, a condição só é testada após a primeira execução do bloco de comandos.

repeat
until condição;

Operadores Lógicos

not = não
and = e
or = ou
xor = ou exclusivo

Procedimentos

São utilizados a fim de dividir uma aplicação em blocos menores de código, armazenando trechos recorrentes do programa.

procedure nome_do_procedimento (parâmetro : tipo)
var
{declaração de variáveis}
  begin
    {código}
  end;

Funções

Elas são semelhantes aos procedimentos, contudo, são obrigadas a retornar um valor como resultado.

function nome_da_função (parâmetro : tipo) : tipo_de_retorno;
var
{declaração de variáveis}
  begin
   {código}
   result := valor;
  end;

OBS: result é uma variável interna criada pelo ambiente.
DICA: só se deve incluir a cláusula VAR se realmente houver variáveis, pois caso contrário dará erro de compilação.

Tipos de Campos

Public

Todos os elementos, funções, procedimentos e dados podem ser acessados por outras Units.

Private

Tudo o que for colocado aqui só pode ser usado na unidade em que foi definido.

Protected

Os dados podem ser acessados internamente na Unit e em outras que a referenciam.

Geralmente, os professores costumam dizer que é fácil aprender Delphi. É claro que com esforço, é sim. Mas é preciso dedicação e paciência! Quando dá erro fico com vontade de quebrar o monitor, às vezes…

Portanto, a regra para se aprender algo é a sua prática. Conheça a ferramenta, brinque com os componentes e logo estará craque na criação das suas aplicações.

Gostou do formato do post? Escreva sua opinião nos comentários.

Qual é a sua opinião?