Lean: o que é, para que serve e quais seus objetivos?

Lean significa enxuto, surgiu com a Toyota e como filosofia, tem como foco o corte de desperdício e gastos desnecessários.

Para saber como aplicá-lo, continue a leitura.

O que é Lean?

De acordo com o Lean Institute Brasil, o Lean é uma filosofia inspirada nas práticas de gestão implementadas pela Toyota.

Logo, sua estratégia concentra-se em mobilizar a equipe para evitar desperdícios, fazendo o máximo com o mínimo possível.

Lean Manufacturing, seu nome original, é traduzido como manufatura enxuta e surgiu após a Segunda Guerra, no período de reconstrução em que o Japão tentava reerguer sua economia.

E com isso, o Lean foi criado pelo executivo da Toyota, Taiichi Ohno, como o Sistema Toyota de Produção – Toyotismo, que vigorou entre 1947 e 1975. 

E foi definitivamente popularizado a partir do livro A Mentalidade Enxuta nas Empresas, de James P. Womack e Daniel T. Jones.

 

Leia mais

Design Thinking: o que você precisa saber?

Como desenvolver uma rotina de trabalho saudável?

A descoberta de Carol Dweck: você sabe o que é mindset?

 

Lean: como funciona e para que serve?

Definido como uma filosofia, o Lean é um conjunto de técnicas e práticas que procuram evitar o desperdício, entregando valor ao cliente ao utilizar menos recursos. 

Isto significa, por exemplo, que ao desenvolver um projeto, estipula-se todos os gastos e recursos que serão utilizados, e na prática, toda a equipe trabalha para que sejam cortados gastos supérfluos e desnecessários. 

Desse modo o produto é desenvolvido, é entregue valor ao cliente, e eliminam-se desperdícios.

Por esse motivo o Lean é adotado pelas empresas, para que possam desenvolver seus produtos com a máxima qualidade e eficiência sem ter que gastar a mais com isso. 

Quais os objetivos do Lean?

Como a tradução do Lean sugere, o seu principal objetivo é enxugar gastos e desperdícios. 

Contudo, não é só isso que a filosofia Lean incentiva, veja só:

  • Detectar e solucionar problemas e falhas rapidamente
  • Minimizar o desperdício de recursos
  • Dar a equipe suporte para melhoria e aperfeiçoamento contínuos
  • Promover forte relação com fornecedores e colaboradores da empresa

Quais os princípios do Lean Manufacturing?

Os princípios do Lean foram identificados e agrupados por meio do livro “A Mentalidade Enxuta das Empresas”, descrito no tópico anterior, e são eles:

  • Valor
  • Fluxo de Valor
  • Fluxo Contínuo
  • Puxar
  • Perfeição

Valor

Segundo o Lean Institute Brasil, o principal objetivo do Lean é maximizar o valor entregue aos clientes. E quem melhor do que o próprio cliente/usuário para definir o que é valor? 

Ou seja, o resultado está de acordo com as necessidades do cliente.

Fluxo de Valor

São as etapas realmente necessárias que trabalham para entregar valor ao cliente. Aqui são descobertos fluxos que impedem a fluidez e entrega rápida e satisfatória ao seu destino.

Fluxo Contínuo

No fluxo contínuo é cortado todo o fluxo desnecessário descoberto na etapa acima, e refeito um caminho enxuto e fluído do desenvolvimento à entrega do produto.

Puxar

Puxar ou produção puxada é a etapa em que o projeto desenvolve apenas o que o cliente quer. Por exemplo, não são feitas funções adicionais ou produtos acima do estoque estipulado.

Assim, a empresa trabalha apenas com a quantidade acordada.

Perfeição

Nada mais é do que aplicar cotidianamente a filosofia da melhoria contínua. Dessa forma, a empresa busca encontrar problemas e falhas que engessam o fluxo do produto, e trabalha para proporcionar melhoria sempre que possível.

Portanto, encontrar e resolver problemas é o mantra da melhoria contínua.

Quais são os desperdícios do Lean?

Segundo Taiichi Ohno, mencionado acima, existem 7 desperdícios envolvidos na produção:

  • Defeitos: produção de produtos com defeito ou mesmo a finalização de um produto que teve falhas.
  • Excesso de Produção: produzir mais do que o necessário e ter um estoque parado.
  • Espera: quando tem-se que esperar para utilizar uma ferramenta, atrasos, etc.
  • Transporte: transporte demorado de itens, entrega no destino errado, entrega de material errado, fluxo engessado, etc.
  • Movimentação: Fluxo desnecessário de movimentação dos trabalhadores. 
  • Processamento inapropriado: são etapas que não somam valor ao produto que está sendo desenvolvido. E, com isso, podem ser etapas adicionais que tentam aumentar a qualidade, mas só causam transtorno e atrasos, por exemplo.
  • Estoque: ter um estoque maior do que o necessário, seja de produto ou de matéria-prima.

Concluindo

É evidente que junto com outras metodologias ágeis e frameworks, a filosofia Lean contribui de modo positivo para destravar empecilhos no fluxo das atividades de produção.

Isto, contudo, proporciona a entrega de máximo valor com recursos sabiamente utilizados. Dessa forma, não há desperdícios de recursos.

Certamente, o Lean é uma abordagem que merece ser analisada pela sua equipe. Trabalhar em torno dos mesmos objetivos, priorizando valor e cortando empecilhos, faz com que você entregue seu produto com mais qualidade e eficácia.

Qual é a sua opinião?