SQL CRUD: Aprenda os comandos básicos

Nesse post você vai aprender a usar os comandos mais importantes de SQL. Vai saber como e quando utilizar cláusulas e o famoso CRUD.

 

Tópicos que você vai ver

1. Como criar um banco de dados?
2. Criando uma tabela no banco de dados
3. Inserindo dados na tabela – INSERT
4. Excluindo uma tabela – DROP
5. Alterando uma tabela – ALTER
6. Comandos UPDATE e DELETE

O que é o banco de dados?

Antes de tudo, um banco de dados é composto por tabelas. As tabelas armazenam os dados em linhas e colunas.

Uma linha abrange várias colunas que juntas descrevem alguma característica de um objeto. Dessa maneira, uma coluna é como uma categoria. Portanto, cada objeto (registro) possui características que pertencem a essas categorias.

É bom lembrar, que uma tabela é formada especificamente por linhas e colunas.

Como criar um banco de dados?

No terminal ou no sistema gerenciador de banco de dados de sua preferência, digite o comando:

CREATE DATABASE 
nome_do_banco;

Depois é só executar. Aqui tomamos como exemplo o MySql.

Se você também o estiver usando, basta apertar CTRL+ENTER após o ponto e vírgula e o comando irá executar.

sql crud

Assim, basta digitar a seguinte sintaxe para se conectar ao banco:

USE nome_do_banco;
BANCO DE DADOS (CRUD) – SQL BÁSICO PARA INICIANTES

Pronto! Banco de dados criado e pronto para uso.

Para observar a sua estrutura, basta atualizar a aba dos SCHEMAS e navegar pelo seu conteúdo.

sql crud

Criando uma tabela no banco de dados

A sintaxe para criar uma tabela requer um pouco mais de atenção de quem está iniciando em SQL. Não se pode esquecer de colocar o ponto e vírgula no lugar certo.  Pois é ele quem finaliza um comando.

Da mesma forma, o uso de parênteses também requer atenção, veja:

CREATE TABLE 
nome_da_tabela (
Coluna1 tipo_do_dado,
Coluna2 tipo_do_dado,
Coluna3 tipo_do_dado
);

Vamos entender o código:

O primeiro parêntese diz que o bloco de comandos da tabela foi iniciado. Assim, toda a informação que haverá dentro desta tabela, fica delimitada entre os parênteses.

Cada coluna é finalizada com uma vírgula, exceto a última. Isso é um padrão da linguagem SQL. Já que a última coluna não pode receber vírgula.

E por último, tem-se o fechamento do parêntese seguido de um ponto e vírgula. Isso indica que o bloco de comandos foi fechado.

Consequentemente, cada coluna possui um tipo de dado.

Os tipos mais comuns são: CHAR, VARCHAR, INTEGER, BLOB, DECIMAL, DATE e DATETIME.

Na coluna id_cliente, há as informações not null e auto_increment.

Isto significa que eu disse à minha coluna que esse dado não pode ser nulo e que será incrementado automaticamente.

Geralmente, todos os campos que são chave primárias ou códigos em especial, são auto incrementos.

Portanto, são automaticamente gerados pelo sistema.

Toda tabela precisa ter uma chave primária. Na tabela clientes, a sua chave primária é o id_cliente.

Em resumo, a chave primária é importante para garantir a unicidade de uma tabela e para conectá-la aos relacionamentos.

(SQL CRUD) Inserindo dados na tabela – INSERT

Começaremos a partir de agora aos comandos básicos de SQL CRUD. Observe:

Para inserirmos dados em nossa tabela, basta digitarmos os campos e os valores que queremos atribuir.

INSERT INTO cliente 
(nome, telefone, endereço)
VALUES 
(‘Joana das Flores’,
‘12345678’, ‘Rua das Flores’);
BANCO DE DADOS (CRUD) – SQL BÁSICO PARA INICIANTES

Para sabermos se os dados foram inseridos, utilizamos a sintaxe:

SELECT * FROM cliente;
sql crud

Vamos entender o que foi feito:

A sintaxe para inserir dados pede que escrevamos onde queremos inseri-los, que é em nossa tabela cliente. Desse modo, com parênteses delimitamos os campos em ordem.

Caso não escrevamos na mesma sequência, o código vai dar erro. Se você prestou atenção, viu que eu não coloquei a coluna id_cliente.

Isto porque ela é um campo auto incremento. Ou seja, eu não preciso inserir o dado, pois o sistema já faz isso por mim.

Após delimitar os campos, colocamos a palavra-chave VALUES, abrimos parênteses e entre aspas simples, inserimos os dados que queremos.

Note que aqui também é preciso colocar os dados em ordem. Se inserirmos em diferentes posições, o nosso código resultará em erro.

Excluindo uma tabela – DROP

Vamos supor que você queira por algum motivo excluir a sua tabela. Há maneiras de inserirmos dados novos sem a necessidade de excluir e começar tudo do zero. Contudo, vamos imaginar que você queira excluir.

A sintaxe é a seguinte:

DROP TABLE nome_da_tabela;

Ao apertar CTRL+ENTER você exclui definitivamente a tabela e o que estava dentro dela.

Cuidado ao fazer isso, nem sempre excluir é a melhor opção.

Alterando uma tabela – ALTER

Vamos supor que você precise alterar a sua tabela e não quer excluí-la e recomeçar do zero. Talvez você queira mudar o nome ou adicionar colunas, por exemplo.

A melhor maneira de se fazer isso é alterando a sua tabela.

A sintaxe para adicionar uma coluna é:

ALTER TABLE 
nome_da_tabela
ADD COLUMN 
nome_da_coluna
tipo_de_dado;

Para saber se o campo foi adicionado a tabela, basta digitar o comando:

DESCRIBE nome_da_tabela

Ou

DESC nome_da_tabela

É importante observar que ao incluir um novo campo, quando buscamos informações sobre ele, se não tivermos inserido nada, ele será nulo.

Assim, o sistema alterará a tabela, mas obviamente não colocará dados nos campos adicionados.

Excluindo uma coluna

Da mesma forma, se quisermos excluir apenas uma coluna da tabela, a sintaxe é:

ALTER TABLE 
nome_da_tabela
DROP COLUMN 
nome_da_coluna;

Modificando dados de uma coluna – MODIFY

Caso queiramos modificar o tipo de dado de uma coluna, basta digitarmos:

ALTER TABLE 
nome_da_tabela
MODIFY COLUMN 
nome_da_coluna
tipo_de_dado;

Modificando o nome da coluna – CHANGE

ALTER TABLE 
nome_da_tabela
CHANGE COLUMN 
nome_ANTIGO_da_coluna
nome_NOVO_da_coluna tipo_da_coluna;

Modificando o nome da tabela – RENAME

Para renomear uma tabela:

ALTER TABLE 
nome_da_tabela
RENAME TO 
novo_nome_da_tabela;

 SQL CRUD – Comandos UPDATE e DELETE

UPDATE

Quando inserimos um dado e precisamos modifica-lo, a melhor forma de fazer isso é utilizando o comando UPDATE.

Ele modifica uma linha:

UPDATE nome_tabela
SET nome_coluna = 'novo_valor'

WHERE nome_coluna = 'antigo_valor';

Essa sintaxe quer dizer: atualize na tabela tal, o nome antigo para o novo nome, onde (você estabelece uma condição). Aliás, o comando UPDATE é um alívio para o SQL.

Sem ele, teríamos que excluir registros e aumentar as chances  de comprometer o nosso banco de dados com a perda de informações.

Entendendo o código:

O SET diz que o novo valor que será atribuído está logo após o sinal de igual. A cláusula WHERE informa qual o valor antigo que o novo substituirá.

Logo é possível alterar várias linhas ou várias colunas de uma vez. Basta trabalhar com a cláusula WHERE e colocar vírgulas ao final de cada novo valor.

UPDATE com várias colunas

UPDATE nome_tabela
SET coluna1 = ‘novo_valor’,
Coluna2 = ‘novo_valor’,
Coluna3 = ‘novo_valor’;
Condição;

O mais importante no comando UPDATE é que ao usá-lo, você não sensibiliza o seu banco de dados. Pois o registro é feito sem o risco de apagar dados de forma errada.

DELETE

Caso seja preciso excluir uma linha, usamos o DELETE:

DELETE FROM nome_tabela
WHERE (condição)

Bem, agora que você conheceu as sintaxes básicas de SQL e o famoso CRUD, por que não treinar um pouco em seu SGBD?

Aproveite para dar uma olhada em outros posts de banco de dados:

 

Qual é a sua opinião?